PUBLICADO EM 02/05/2018

Vingadores: Guerra Infinita

 

Vingadores: Guerra Infinita

Ajoelhai-vos, pois Thanos está entre nós. Após apresentar uma vasta quantidade de super-heróis por meio de 18 filmes espalhados por dez anos, a Marvel criou um ambiente propicio para trazer o maior vilão da editora para as telonas.

No filme acompanhamos os Vingadores que se unem para combater seu inimigo mais poderoso, o maligno Thanos. Em uma missão para coletar todas as seis pedras do  infinito, Thanos planeja usá-las para infligir sua vontade sobre a realidade e exterminar metade do universo.

Todo o tom de ameaça, caos e preocupação que não tiveram nos filmes anteriores, estão nesse filme, têm bastante humor támbem, o que dá um divertido contraponto a momentos tristes e sem esperança.

Uma coisa que ficou muito clara para mim no filme, é que, ao longo desses 10 anos a Marvel deu uma arrojada nas personalidades de seus heróis para o cinema, e fica claro com a junção de todas personalidades, que elas sim se repetem ou são quase iguais, todos são engraçados, bonitos e fortes, outros mais sérios e refletem o correto. O que gera um conflito em certos momentos, em toda situação você espera por risadas.

Esse ponto talvez tenha feito a historia rodar em torno de Thanos que é um vilão com um ideal que apesar de errado é certo ao mesmo tempo, que quase consegue se passar por anti-herói ao invés de um vilão. O que mudou bastante já que nos quadrinhos, suas ações são movidas pela sua paixão pela morte, Thanos vem de Thanatos, personificação da morte na mitologia grega.

Analisando o Aspecto de criação do filme, o que se pode dizer é que o roteiro é super enxuto, mas com espaço para todos brilharem um pouco e principalmente com diálogos engraçadinhos já que todos são assim nesse universo cinematográfico. Pouco tempo para pensar e muito para porradaria, fica difícil lembrar das tramas de cada grupo a não ser a frase engraça e as lutas, o que me fez parecer que o filme teve uma hora de duração em termos de historia e as outras uma hora e meia de filme foi porrada.

Dividir os heróis foi a forma de tentar disfarçar um pouco as semelhanças, mas as transições de personagens entre núcleos e os intervalos entre suas aparições dificultam um pouco o entendimento, personagens parecidos, muitos lugares, trocas rápidas, sem uma passagem de tempo ou um respiro podem confundir um pouco quem assiste. Apesar do roteiro ser simples ele é super funcional, por que diverti e te mantém preso.

Efeitos especiais, composições, 3D, montagem/edição e a trilha sonora, não tenho nem o que dizer a não ser que foram executados de uma forma muito harmônica, fluida e o filme tem uma agilidade e constância do inicio ao fim. Tudo muito bem executado. Quem for ao cinema vai ter um show de efeitos especiais, bem detalhados, um show de ação que o filme merece e tem, tudo bem frenético, piscou perdeu alguma coisa. 

Apesar de todo investimento, o marketing a grandeza desse acontecimento, esse não consegue ser o melhor filme da Marvel, ficando atrás de filmes como: Homem de Ferro (1), Capitão America: O primeiro Vingador, Capitão America: Soldado Invernal e até o sucesso mais recente Pantera Negra. Mas ainda assim é um ótimo filme.

Título original: ‘Avengers: Infinity War’

Direção: Anthony Russo e Joe Russo

Elenco: Anthony Mackie, Benedict Cumberbatch, Chadwick Boseman ,Chris Evans, Chris Hemsworth, Chris Pratt, Danai GuriraDave Bautista, Don CheadleElizabeth Olsen, Josh Brolin, Letitia Wright, Mark Ruffalo, Paul Bettany, Robert Downey Jr.,  Scarlett Johansson,  Sebastian StanTom Holland, Zoe Saldana entre outros.

Gênero: Ação/Ficção científica. EUA, 2018.

Duração: 149 minutos. (2h29)

 

Nós estamos no Facebook e você também pode nos achar no Instagram, curta as páginas e fique por dentro do UNIVERSO REVERSO.

 

  4

 

SOBRE O AUTOR

Adriano Novaes

Salve, salve sejam bem vindos a essa embarcação rumo ao horizonte da cultura pop ! Eu sou o Adriano Novaes (oh Adriano tá me ouvindo!) e vou lhe guiar nessa jornada em busca de conhecimento e informação !

 

 


RELACIONADOS